Muito quer se falar, pouco se quer ouvir

Tenha uma rede social. Passe os olhos por ela durante alguns minutos. Leia os comentários sobre algum assunto e também as respostas a tais manifestações. Pronto! Você tem nas mãos a receita certa para fazer um bolo de muito falatório e pouca reflexão. Mas te garanto que o gosto desse quitute é amargo e entala na garganta ao ser saboreado.

No Facebook, Twitter ou WhatsApp está todo mundo falando alto! Gritando, cuspindo e impondo a sua opinião. Aí, quando aparece um comentário de discordância ao que foi postado, a voz duplica de tamanho e surgem os textões. É cada comentário que dá inveja a muito estudante de mestrado.

As redes sociais abriram um importante espaço de discussão. E isso é maravilhoso! Acontece que um espaço, que deveria ser transformado num espaço de conhecimento, tem servido, nestes tempos nebulosos da política, para autoafirmação de convicções, defendias a ferro e fogo.

De um lado ou de outro, o que se vê é gente vociferando os ideias. Ao ler os comentários contrários aos seus, já se procura os argumentos para rebatê-lo, antes mesmo de refletir como a ideia pode ser interessante para, no mínimo, ser pensada.

Muito quer se falar, pouco quer se ouvir. E, no meio dessa confusão, surge uma gritaria difícil de ser compreendida. Somente um pouco de bom senso e posições desarmadas são capazes de fazer com que o bolo não assole ao ser levado ao forno. E, assim, ser servido para alimentar a fome por conhecimento lúcido e livre de preconceitos. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s