Experimentar é preciso

Na mesma semana em que fiquei sabendo que uma das mais tradicionais rádios mineiras, a Gurarani FM, fecharia suas portas para dar lugar a uma emissora gospel, meu grupo da faculdade recebeu um sermão por ter apresentado um programa de rádio fora dos padrões. “Um fracasso”. Foi o que ouvimos, desapontados. Vamos ao início:

Recebemos a incumbência de montar um musical. Logo, vieram várias ideias e decidimos falar sobre a música independente em BH. Em uníssono, optamos por fazer um programa experimental, fora dos padrões das rádios – em que há presença de um locutor que conduz o programa. Queríamos ouvir a voz apenas das fontes. Estávamos animados.

Daí, corremos atrás de pessoas do cenário da música indie (ou marginal como chamamos na exibição), para falar sobre sua música, mercado, dificuldades, etc. E nós mesmos editamos. Como nada foi gravado nem editado nos estúdios da faculdade, a qualidade técnica não ficou nada boa. O BG (música de fundo) ficou mais alto que a fala dos entrevistados e esta, por muitas vezes, ficou muito baixa. Também aproveitamos pouco das músicas dos nossos entrevistados. Esses foram nossos erros. Reconhecemo-os.Leia mais »

Anúncios